segunda-feira, 26 de março de 2012

Maré de março

Posso sentir a grande força
De maré, turbilhão, alma azulada
Revoltada sobre si
Lacerada em espuma sobre rochedos
Horas a fio, enervada
Remoinhos de dor e cansaço
Minha fúria vem assim
Alma atirada contra os dias
Dias e dias e dores
Até marejar, serenada
Beira de mar
Tudo quieto em mim.

Um comentário:

  1. "São as águas de março fechando o verão..." Beijo!

    ResponderExcluir